segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Os elos da corrente.


O Kung Fu como o elo que une três gerações de Mestres de Ving Tsun: Si Taai Gung Moy Yat, (foto no quadro) Si Gung Leo Imamura e meu Si Fu, Julio Camacho.


Em um de nossos encontros, ouvi de um irmão Kung Fu uma pergunta dirigida ao nosso Si Fu, Mestre Senior Julio Camacho, sobre o porquê de muitas vezes, valorizamos tanto pessoas de gerações anteriores à nossa, pessoas estas que sequer conhecemos pessoalmente, sequer temos algum nível de convívio. Si Fu ensinou aos presentes sobre a importância que há neste zelo, com o exemplo dos elos da corrente.


Si Fu abraça seu Discípulo de número 1, Leonardo Reis, por ocasião de seu Aniversário. 


Ele nos disse que por mais forte que sejam os elos de uma corrente, basta que apenas um seja frágil o suficiente para romper-se quando posto à prova diante do peso, para que toda a corrente se rompa.
É de fundamental importância para o praticante de Kung Fu compreender que ele como To Dai deve zelar por seu Si Fu. É uma relação humana onde o cuidado deve ser mútuo, afinal, seu Si Fu zela por você, nada mais natural a reciprocidade sincera de seu Discípulo. Eu escolhi a palavra sincera, não por acaso: nela repousa uma ideia de que algo está sendo espontâneo, de coração e além disso, com base na confiança mútua.



Si Fu e eu em uma foto após jantar  no bairro do Méier. 



É da relação de confiança entre o Si Fu e To Dai, que brota o fortalecimento dos elos da corrente. Afinal seu Si Fu também tem um Si Fu e igualmente zela por ele, e assim por diante. De modo que quando uma geração zela pela outra, os laços se estreitam, o elo da corrente se fortalece. Este elo é provido através da Vida Kung Fu, que por sua vez, é a geratriz do Kung Fu de cada praticante. Assim o elo forte da corrente une a todos, e a todos favorece. Isto é ter bom Kung Fu.



Meu Si Fu abraça Si Gung por ocasião de seu Aniversário, comemorado no mês de Março em São Paulo. Foto 2019.